Páginas

sexta-feira, 23 de março de 2012

Brasileira diz que matou filho de 6 anos estrangulado na Argentina para se vingar de ex




A brasileira Adriana Cruz confessou nesta quinta-feira que assassinou seu filho de 6 anos em sua casa na Argentina para vingar-se do ex-marido e pai da criança. A mulher, de 41 anos, admitiu a culpa ao responder a pergunta de um jornalista do canal de televisão Telefé, que conseguiu abordá-la enquanto era transferida a uma prisão da província de Buenos Aires.
Minutos antes, a brasileira havia se negado a declarar qualquer coisa à Justiça, âmbito no qual deverá confessar o crime para que sua declaração tenha validade judicial. O promotor Leandro Heredia, que investiga a morte de Martín, considerou o assassinato "abominável" e que o ato foi cometido por uma pessoa "desprezível, abjeta e aborrecível".
Heredia disse que foi "dantesco" o quadro que encontrou na casa de Adriana e que chorou muito quando viu a criança morta porque, segundo ele, era "idêntica" a seu filho. O caso foi denunciado à polícia por uma empregada doméstica, que ao chegar na terça-feira à casa de Adriana viu a mulher desmaiada ao lado da banheira e o pequeno Martín afogado, com uma gravata que o estrangulava no pescoço.
Heredia disse que a mulher atravessava "um divórcio conflituoso" e detalhou que em fevereiro o ex-marido a denunciou perante a Justiça por "tentar atentar contra a vida de seu filho". "Sabemos também que entre novembro e dezembro do ano passado a mulher esteve internada durante 40 dias em uma clínica psiquiátrica", acrescentou.
O juiz Juan Pablo Massi pediu hoje a prisão preventiva da mulher pelo crime de "homicídio agravado pelo vínculo", que contempla como pena única a prisão perpétua, segundo as leis argentinas.
Terra.com 

Nenhum comentário:

Postar um comentário